Browse By

Sobre

Quem é Raiam Santos?

Meu nome é Raiam Santos, tenho 28 anos e sou um nômade digital que sabe falar 8 idiomas, viajou para 102 países e foi o primeiro negro brasileiro da HISTÓRIA a se formar numa Ivy League, liga das faculdades mais tradicionais de todos os Estados Unidos.

Sou um dos maiores escritores do Brasil e já escrevi best-sellers em minha carreira (como o Hackeando Tudo), hoje depois de passar por muitas dificuldades sou multimilionário com vendas de infoprodutos e com as minhas ações de um dos marketplaces mais promissores do Brasil: a Kiwify.

Hoje a maior parte do meu faturamento vem da venda de cursos online, como:

Onde Raiam Santos estudou?

Nasci e cresci na Vila da Penha, na Zona Norte do Rio e passei minha infância nos bairros de Bonsucesso (onde meus avós moravam), Ramos (onde estudava) e Olaria (onde jogava futebol).

Quando eu tinha 11 anos, meus pais se mudaram para Recreio e me matricularam no tradicional Colégio Santo Agostinho.

Sempre fui muito disciplinado pelos meus pais e por causa disso (e do meu QI), fiquei entre os melhores da escola, porém sofria muito bullying por lá e repeti um dos meus anos do fundamental mesmo sendo um dos melhores da sala. O argumento da escola era de que tinha mau comportamento.

Continuei no Santo Agostinho até os 15 anos, quando passei num concurso nacional da World Study e recebi uma bolsa de estudos para fazer high school nos Estados Unidos. 

Me mudei para San Diego, Califórnia e além de ser um dos melhores alunos da sala, virei jogador do time de futebol americano da San Diego High School.

Teoricamente eu só poderia ficar um ano nos Estados Unidos e não poderia me graduar lá, porém aos 16 anos decidi ser um imigrante ilegal para terminar meus estudos e realizar meu sonho de estudar nas melhores universidades do mundo. 

Fiz um livro que falo exatamente dessa época, o Imigrante Ilegal.

No meu último ano de high school, devido a minha ótima aplicação para as universidades americanas e ao meu desempenho escolar que me colocou em primeiro lugar entre todos os alunos da minha escola, recebi uma bolsa de estudos de 200 mil dólares para estudar na Wharton Business School, escola de negócios da University of Pennsylvania, uma das maiores faculdades do mundo.

Já no meu primeiro ano de faculdade quase desisti de tudo por me sentir burro e impotente quando comparado a todos os outros estudantes, estava rodeado pela elite acadêmica mundial. 

Tudo mudou quando aos 18 anos decidi juntar um dinheirinho da minha mesada e comecei a operar na bolsa de valores de Nova York devido a recomendação de um professor de finanças, que nos orientou a ir às compras após o crash de 2008. 

Meu interesse pelo mercado financeiro fez com que as aulas finalmente fizessem sentido para mim, minhas notas por conta disso começaram a subir.

Durante meus 4 anos de graduação recebi bolsas de estudos para fazer cursos de férias na Europa, morando em cidades como Alicante, Barcelona, Paris e Florença.  Devido ao meu esforço e minha experiência multicultural, aos 19 anos já era um poliglota, sendo fluente em um total de 6 idiomas (português, inglês, espanhol, italiano, catalão e francês).

No meu último ano de faculdade, fui campeão da Ivy League (liga entre algumas das faculdades mais renomadas dos Estados Unidos, como Yale, Harvard, UPenn e Princeton) e recebi o prêmio Academic All-Ivy por ser um dos melhores estudantes-atletas de todo país. 

Acabei me formando aos 20 anos com uma tripla graduação em Economia, Relações Internacionais e Letras.

Como foi a vida depois da faculdade?

Com meu diploma na mão, não sabia o que fazer da vida, estava perdido e até pensei em fazer um mestrado para ganhar tempo, porém decidi entrar de cabeça no mercado financeiro e usando meu networking, fiz algumas ligações e lá estava eu trabalhando em Wall Street, na área de análise do banco Citigroup.

Aos 21 anos estreei como kicker e punter da Seleção Brasileira de futebol americano e realizei meu sonho de representar meu próprio país.

Após 2 anos trabalhando em Nova York, aconteceu a melhor coisa que poderia acontecer na minha vida, fui mandado embora do Citigroup aos 23 anos e perdi meu visto de trabalho, tive que entregar meu apartamento e voltei para o Brasil com 2 malas para começar tudo de novo.

Logo que cheguei no Brasil realizei outro sonho de criança: virei apresentador e comentarista de TV do Esporte Interativo e da ESPN, porém depois de 1 ano, fui demitido da ESPN devido a uma piadinha inocente Rio-São Paulo que explodiu na mídia.

Após isso, tentei operar com day-trade, porém perdi tudo com um investimento de alto risco e fui do quase milhão ao zero. Estava no fundo do poço e fui morar no complexo do alemão com meus avós, falido, aos 24 anos.

Pense em um muleque de 24 anos, formado em uma das faculdades mais renomadas do mundo, onde passaram nada mais que Donald Trump e Elon Musk, fluente em 7 idiomas e ex-jogador da seleção brasileira, estar falido, morando com os avós em um lugar extremamente pobre, esse era eu.

Dos 24 aos 25 anos escrevi um livro que me rendeu mais de um milhão de reais e se tornou um dos maiores best-sellers da história da Amazon: Hackeando Tudo. Contudo, esse livro ainda não tinha estourado e aos 25 anos arranjei o pior emprego da minha vida, estava ganhando um salário medíocre de 5 mil reais por mês (em NY ganhava 10 mil DÓLARES mensais) para trabalhar na bolsa de valores. Decidi enquanto isso trabalhar a noite nos meus projetos alternativos, ali estava nascendo o Raiam Santos empreendedor.

Finalmente, depois que eu percebi que meu projeto alternativo estava dando mais dinheiro, eu pedi demissão e comecei a focar 100% do meu tempo em minhas metas pessoais. Aos 26 anos me tornei nômade digital, ganhando dinheiro com meu blog, vendendo meus livros e sendo afiliado de curso online. Já que ainda não ganhava muito, viajava pelo Brasil e quando saia do país, ia para lugares baratos como por exemplo a Tailândia.

Minha depressão profunda

Aos 27 anos entrei numa depressão profunda pois cometi um enorme erro: me comparei com meus antigos colegas de faculdade, que estavam milionários e já com a vida estabilizada. Me senti um lixo e por isso comecei a ficar deprimido. Eu já tinha conquistado diversas coisas na minha vida, já havia visitado mais de 20 países e tinha uma vida muito melhor que a de várias pessoas, mas ainda assim sentia um vazio em mim.

Fiquei por quase dois anos com depressão e peguei meus 100 mil reais que tinha no banco com um objetivo: viajar o mundo inteiro torrando essa grana para que quando meu saldo chegasse a zero, subisse no maior prédio que eu conseguisse no país e me jogasse de lá.

Como dei a volta por cima?

Em 2018, ao fazer uma publicação polêmica que explodiu no instagram enquanto estava na Rússia, percebi que estava agregando na vida de pessoas e pela primeira vez em muito tempo, me senti útil para as outras pessoas e isso me tirou do fundo do poço.

Com toda a fama que ganhei em 2018, consegui com toda minha demanda criar minhas comunidades e crescer exponencialmente na internet e com 28 anos fiquei milionário.

O que Raiam faz ultimamente?

Hoje viajo o mundo em busca de oportunidades e experiências enquanto comando a minha holding Kobe Media, cujo nicho é de venda de infoprodutos, livros, canais de Youtube e clubes de negócio e tenho como missão: levantar a auto-estima, a curiosidade, o conhecimento e a ambição da juventude brasileira.

Tenho mais de 2 milhões de seguidores nas redes sociais e agora sou sócio de uma das maiores plataformas de venda de cursos online, a Kiwify, que inclusive foi aceita na Y Combinator, que já “revelou” unicórnios como o Airbnb, Twitch e Dropbox.

Mas para cada conteúdo pago, tenho muito mais conteúdos gratuitos.

Quanto Raiam Santos ganha?

Então, faço mais de 1 milhão por mês. Mas igual sempre falo nos stories, mais que você e menos que o Neymar.

Informações sobre Raiam Santos

Em resumo, algumas infos sobre mim:

  • Falo 8 idiomas
  • Já conheci mais de 102 países
  • Fui jogador da seleção brasileira de futebol americano
  • Sou formado na mesma faculdade que Donald Trump e Elon Musk
  • Fui campeão da Ivy League
  • Ganho mais que um milhão por mês
  • Sou um dos donos da Kiwify
  • Já consegui fazer 8 milhões em uma semana
  • Já aluguei o estádio do Flávio Augusto para eu e meus clientes do meu clube de negócios jogarmos bola.
  • Já fui para uma conferência do Fórum Econômico Mundial em Davos
  • Já li mais de 1.200 livros