Browse By

Por que a África é o Futuro do Marketing Digital? – PAN #18

Negão, suas vendas aumentaram depois que você começou a mostrar seu lado mais estrategista no YouTube? 

Não! Cara, as vezes eu chego à conclusão “Não dê pérola aos porcos”.

É impressionante como o Raiam extremo, fazedor de treta, zueiro, comedor, engaja mais e converte mais do que esse Raiam mais sério e estrategista.

Mas fazer o que?

É um play de longo prazo, a gente tem que dar um passo pra trás pra dar cinco pra frente.

Daí você coloca aí nos comentários se você prefere o lado zueiro ou o lado estrategista do Raiam.

Mas até agora ser sério e ser estrategista não funcionou muito não.

Você pensa em ser autor de livros de ficção, Raiam?

Não! Por que? Porque eu não leio ficção.

Não assisto filme, filme é ficção e eu não assisto.

Então, por não gostar daquele gênero eu não vou escrever sobre aquilo.

Cada um é cada um.

E ficção também não dá dinheiro;

Ficção é 1 em 10 milhões que conseguem alguma coisa.

E hoje em dia quem tá ganhando dinheiro com ficção é putaria.

Olha aí! Uma coisa que eu escreveria é conto erótico, romance de mulherzinha tipo “50 Tons de Cinza”, eu escreveria um negócio desses sim. Eu gosto de sacanagem.

É possível trabalhar com marketing digital estando na África?

Sim! África é um oceano azul.

Hoje em dia, em torno de 10% do meu público vem da Angola ou de Moçambique ou de Portugal (Portugal não é África, mas eu expando além dos domínios brasileiros porque eu sei que tem gente que consome o meu conteúdo e tem gente que gostaria do meu conteúdo nesses países).

E o legal é que o custo de aquisição de cliente, o custo de aquisição de seguidor em “mercados emergentes” no marketing digital tipo Angola, tipo Moçambique, são baixíssimos.

Então eu rodo as minhas campanhas em Moçambique e Angola e eu trago muita gente que nem o cara que fez a pergunta, com certeza ele veio de algum anúncio meu.

Realmente sim, é possível trabalhar com marketing digital na África!

Eu vou para Angola e para Moçambique nesse ano ainda. Estava planejando pra ir agora, mas daí a pandemia me cancelou, mas sim, eu vou fazer evento e palestra em Angola e Moçambique porque eu acredito nesse mercado.

Negão, qual critério você usou para escolher quais idiomas iria aprender? E quais são os 6 idiomas que você fala?

Eu falo português, inglês, espanhol, francês, catalão, italiano, russo e eu entendo alemão, então é 7 e meio.

Qual critério eu usei? Eu ia estar mentindo pra você se o critério não fosse preguiça e facilidade.

Porque a gramática e o vocabulário do catalão é igual ao francês e o francês parece muito com o português que parece com o espanhol, que é idêntico ao italiano, o russo…30% das palavras do russo são iguais as nossas.

E o inglês é a língua de todo o mundo, e o alemão, eu pulei pro alemão porque 40% das palavras do alemão também são iguais as do inglês.

E o alemão foi o mais difícil de todos eles porque não dá pra praticar alemão na Alemanha, todo mundo lá fala inglês com você.

Raiam, você acredita que o sucesso vem em ciclos ou ele é pleno? O fracasso é uma prerrogativa para o sucesso? 

Que pergunta boba, claro que ele vem em ciclos.

As pessoas que querem crescer em “linha reta” são as mesmas pessoas que acreditam em marketing multinível, pirâmide de bitcoin, trade esportivo, que vai te dar 1% ao dia, que vai te fazer crescer com consistência.

Eu não conheço nenhum cara muito pica que não quebrou, ou que não tomou no cu por conta de sócio, ou que não passou por depressão, por problema na família.

Como dia o escritor Ryan Holiday “The obstacle is the way!”, “O obstáculo é o caminho” .

Como você pretende internacionalizar seu trabalho? Será como fez no Brasil? 

Sim e não.

Estou internacionalizando.

Produzindo conteúdo em inglês, você viu aí o quadro “Thousand Books” não foi tanto pra gerar engajamento, mas pra tirar um bloqueio mental que eu tinha de fazer conteúdo em inglês.

Estou rodando anúncio em países que estão no meu domínio, mas ainda não cheguei lá, tipo Angola e Moçambique e Portugal.

Isso é internacionalização, querendo ou não, principalmente em Portugal, eu estou recebendo em euros, e é bom receber em euros.

E outra coisa que foi igual eu fiz no Brasil: compra de influência.

Sabe o negócio de comprar seguidor? Comprar seguidor é pra gente burra, porque o seguidor não vai virar seu cliente.

Se você compra influência você compra seguidor, vem seguidor daquela pessoa, você compra autoridade e ainda compra networking.

Então eu sou 100% favorável a comprar influência.

E se você tiver mais seguidor que eu, mais inscrito que eu, e quiser colocar um dinheiro no bolso, fala comigo lá no @raiam3, que a gente faz uma compra de influência. Não gosto de permuta, tá?

Por que eu não gosto de permuta? Porque não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você.

Eu pagando pra aparecer no Instagram ou no Youtube de alguém maior que eu, com mais seguidores e alcance e que tem meu público alvo, é uma maneira de eu fazer a minha riqueza circular e apreciar o trabalho do colega e do influenciador.

É isso aí!

Eu tenho mais dinheiro do que praticamente todos eles, né? Só Carlinhos Maia, Whindersson, e mais uma meia dúzia que ganha mais do que eu, então…

Eu compro influencia sim.

Raiam, você tem alguma página onde podemos encontrar TODOS os seus produtos (livros, cursos, eventos, etc), pra quem é viciado ter certeza de que não tá perdendo nada?

Sim, senhor Cury!

A página é @produtosraiam1, tem todos os meus produtos lá.

Lembrando quais são os meus produtos:

Livros: Hackeando Tudo, Ousadia, Wall Street, Missão Paulo Coelho, Imigrante Ilegal, Arábia, Negro Na Rússia, Sem Filtro, Classe Econômica Europa Comunista.

Cursos online: Milionário com Instagram, Milionário com Telegram, Universidade do Networking, Hackeando Tudo 2.0, Nômade Digital, Viagem Barata, Modo Buda de Produtividade, Milionário com Livros.

Eventos: Tem a imersão, tem o sub19 (R$3000), o sub25 (R$12.000), principal a gente tá fazendo a R$35 mil e Million continua R$80 mil e tá fechado.

Tem esse tanto de produto pra vender, mas eu tenho o triplo de conteúdo gratuito.

Só ganho dinheiro porque eu sou o cara que mais entrega na internet de graça.

Então se você quer ganhar dinheiro na internet botando a cara e criando conteúdo, você tem que entregar muito mais.

Reciprocidade. Entrega 10 vezes mais.


Gostou desse conteúdo?

Veja o próximo:

Veja o anterior: O que vai acontecer com Brasil pós pandemia? - PAN #17