Ex Militar que Ganhava +R$7.000 e Hoje Ganha 4x Mais Viajando o Mundo – Subcast #6

Ex Militar que Ganhava +R$7.000 e Hoje Ganha 4x Mais Viajando o Mundo – Subcast #6
https://www.youtube.com/watch?v=crylX6l7lpY&list=PLcei9tH-wF0jmHmFxBvY7hE8nrgY2IP0q&index=27

[Raiam] Fala rapaziada, mais um subcast rolando aqui direto de Moscou.

E hoje eu vou trazer um maluco, lá dos canfundós da zona oeste do Rio de Janeiro, largou o exército e agora está em Moscou, em algum lado dessa cidade ele está.

Senhor Pedro Roskopf!

Antes de começar, que parada é essa de batom? Modo batom? Porque batom?

[Roskopf] Então vamo lá, eu tô com a toquinha aqui agora, mas vou tirar minha toquinha que é minha máscara, basicamente…o batom é porque eu fui oficial do exército brasileiro, só que eu fiquei calvo com 19 anos, puxei ao meu pai – meu pai é careca -, com 19 anos meu cabelo começou a cair, fiquei calvo.

E pô, tem uma hora que tu aceita que tá careca, não adianta você lutar, quem é calvo sabe, você fica tentando lutar, jogar o cabelo pro lado, mas no meu caso não dá, eu sou preto, meu cabelo é duro.

Então eu raspei a cabeça, cheguei no quartel e começou um monte de apelido, e o que ficou foi o batom, que foi até o que eu achei mais engraçado.

A partir de então eu resolvei pegar uma onda do momento, que no caso era o Fábio Assunção na época, tinha o “Modo Fábio Assunção”, eu fui e coloquei minha marca toda baseada nisso, criei o meu modo, o “Modo Batom”.

Porque meu público é homem, gostava desse porra, engajava o Fábio Assunção, então eu peguei algo que já existia e trouxe pro meu negócio.

[Raiam] Então conta pra gente, quem é você, quantos anos você tem, e de onde lá na zona oeste você é?

Quem é o Roskopf?

[Roskopf] Então, meu nome é Pedro Roskopf, eu tenho 23 anos, nasci em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro, conhecido como o lugar mais quente do Rio de Janeiro, e cara…

Não vim de família rica, meu pai era vendedor das Casas Bahia, minha mãe era dona de casa, segui aquele famoso caminho do sucesso de estudar, tirar boas notas, e arranjar um bom emprego, não é a toa que eu virei oficial do exército brasileiro.

Só que quando eu alcancei esse tão sonhado sucesso eu vi que liberdade e estabilidade são coisas que não andam juntas, e que não era aquilo que eu realmente queria, então eu fui procurar outras formas de estar ganhando dinheiro e de mudar a minha vida.

Eu não queria viver aquele 40/40/40, que é trabalhar 40 anos, 40 horas por semana, pra se aposentar com 40% do salário, e com essa nova reforma de previdência a gente não sabe nem se será possível se aposentar.

Então eu li o livro “Trabalha 4 Horas Por Semana”, que é a Bíblia dos nômades digitais, esse livro foi o livro que mudou a minha vida, que me deu o start, ele não mudou minha vida falando o que eu tinha que fazer, mas me mostrou que existia um novo mundo e uma nova forma de estar vivendo.

[Raiam] Pô cara, você sendo oficial do exército desde os 19… quantos anos você tinha?

[Roskopf] 19 anos, entrei no exército com 19, tu fica…no caso, me formei no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva, tu fica um ano lá como aluno e depois os que tem as melhores notas se formam, no caso eu terminei em 4º lugar do meu curso, e abriram só 5 vagas pra oficiais, e só esses 5 primeiros se tornam oficiais, então de 19 pra 20 eu já era aspirante a oficial do exército.

[Raiam] Então de 19 pra 20 você já tava ganhando esse salário ai de 7…6 pau, né?

[Roskopf] Sim…é…isso foi há 4 anos atrás, então houve um reajuste, eu ganhava por volta de R$5.700, quando eu saí…

[Raiam] Pô, mas pra Bangu isso é um super salário, pra tua galera lá tu ostentava…tinha carro top…

[Roskopf] Não tinha essas porra porque eu era casado, muita gente me vê loucão aí na internet, acha que eu aloprava, não…eu era um rapaz sério, namorei durante 5 anos, morei junto com minha namorada, montei casa, tinha minha casa dos sonhos…

Primeiro salário, cheguei na loja, comprei televisão 4k ultra HD, videogame dentro, sofá retrátil, montei minha casa bonitona, mas eu era casado, não tinha como fazer essas coisas…namorei por cinco anos.

[Raiam] Porra, mas é difícil você ter um “emprego de sucesso”, exemplo pra tua família, no teu bairro lá tu devia ser o que ganhava mais com menos idade, pra pular pra algo tão incerto assim que é essa vida sua de agora.

[Roskopf] Sim, todo mundo me chama de doido, cara. Primeiro – é o conselho que eu dou pra todo mundo -, nunca perca sua loucura, me disseram que eu era louco.

“Você nunca vai ser oficial do exército”, virei oficial do exército.

“Tu vai abandonar o exército, não vai conseguir se sustentar”, larguei e conheci 23 países.

Quando eu comecei a viajar falaram que eu não ia conseguir ser jogador de futebol, querendo ou não eu joguei na Europa, joguei 4 meses como jogador profissional da Europa, então as pessoas vão dizer que você não é capaz.

Mas, vai lá e faz, se você acredita na sua loucura vai lá e faz!

Você não tem nada a perder, cara.

[Raiam] Brabo, brabo.

Como você ganha tua grana hoje em dia?

Como é que tu faz tua grana hoje em dia, Roskopf?

[Roskopf] Então cara, basicamente eu vendo.

O que eu sei fazer é vender.

Todo mundo tem que vender algum produto ou serviço, tu tem uma loja de dropshipping, tu tem que vender um produto.

Se tu é infoprodutor, tu tem que vender a tua informação.

Se tu é afiliado tu tem que vender a informação de alguém.

Então no final todo mundo vende.

Se você quer pegar um mulher, você vai se vender.

Se você tem que arranjar um emprego, você tem que se vender, então basicamente o que eu faço é vender.

Aparece algo na minha frente? Eu vendo.

É isso que eu faço.

[Raiam] E aí você já vendeu…porra, você já vendeu uma porrada de coisa, tu é da turma 1 do “Nômade Digital“, né?

[Roskopf] Turma 1 do nômade digital.

[Raiam] Eu vi que você criou uma porrada de produto aí, “Modo Batom na Prática”, a tua comunidade, você vendia mentoria, tinha um Close Friends, tinha uma mentoria de moleque mais novo, realmente tava botando em prática aquilo que gente tava ensinando lá de criar uma porrada de produto e fonte de renda.

[Roskopf] Sim, e eu acho que a galera tem que tomar cuidado, que foi uma coisa que eu chamei de “Maldição das Possibilidades”, a internet te dá várias possibilidades de você estar ganhando dinheiro, e aí o pessoal entra na internet, vê um monte de opção de renda passiva, mas todo mundo que tem essa porrada de renda passiva no início eles eram especialistas em algo.

Então o cara quer começar, não tem porra nenhuma, não tem capital pra investir, e aí ele fica pulando de galho em galho.

No início ele trabalhava com afiliado porque era modinha, depois a modinha virou dropshipping, agora…

[Raiam] Pode crer… Sapo Cego!

Você lembra do Sapo Cego em Bali que fazia uma porrada de coisa e não fazia nada bem.

[Roskopf] Sim.

[Raiam] É verdade.

[Roskopf] E não tem lógica, porque o cara começou, o cara não tem dinheiro, o cara comprou um curso pra mudar de vida, aí o cara não tem dinheiro, aí o cara quer começar com o Google, quer começar com Instagram, e querendo ou não pra crescer no Google tu vai ter que contratar os caras pra escreverem os teus artigos, tu gastou capital aqui, vai ter que investir em tráfego, dividiu teu capital e não fez porra nenhuma.

Então, acredito que a maldição das possibilidades, cara…tudo na vida, se você for o melhor, você ganha dinheiro.

Até as profissões que a galera acha que não dá dinheiro, se você for o melhor, você vai ser bem-sucedido.

Era um erro que eu cometi no início, eu ficava pulando de galho em galho, e fazia tudo e acabava que não fazia nada.

Então, se tu tá começando a empreender, escolhe algo pra você fazer, e foque naquilo, seja o melhor naquilo.

Como você conheceu o Raiam?

[Raiam] Roskopf, como é que tu conheceu o trabalho desse negão aqui, cara?

[Roskopf] Eu já tinha visto uma foto sua, um post patrocinado seu, você botando o dedo do meio pro Stalin lá, antiga essa foto, cliquei no teu perfil e tu tinha 80 mil seguidores, só que eu não te segui.

Aí depois, João Costa, um negão, lá da fraternidade, ele entrou no grupo e daí ele falou “mano, entrei, a parada vale a pena, tem um monte de cara foda, monte de milionário, tô aprendendo pra caralho”.

Na verdade, ele me chamou pra entrar antes, junto com ele, só que eu tava com peso mental na época, tava comprando uma porrada de produto, “vou segurar um pouco”.

Aí ele entrou, falou que era bom, eu te mandei mensagem, pedi a conta e paguei – não sabia nem muito bem o que era -.

[Raiam] Tu entrou na época que era 3000, barato ainda.

[Roskopf] O João pagou 2000 e na outra semana eu paguei 2500.

[Raiam] Ah, tá! Tu é das antigas, 2500 é da primeira ou segunda turma do sub25.

[Roskopf] Segunda eu acho.

[Raiam] Segunda, pode crer.

Quem são os mais brabos do sub19?

Como foi que o grupo de ajudou e quem você acha que são os mais brabos ali?

[Roskopf] Acho que a principal coisa que o grupo me ajudou, como eu trabalho com imagem, aquela técnica do colab é uma das principais técnicas pra você crescer no Instagram, a famosa marcação, se você quer crescer no orgânico.

No grupo tem uma porrada de gente foda, e uma porrada de gente que trabalha no digital, que tem uma porrada de seguidores, o grupo me ajudou na questão de networking pra eu poder crescer no Instagram, uma porrada de colabs que eu consegui lá.

Tu vai pra um evento, tu faz colab com uma porrada de gente, então cresce muito rápido.

E também a questão de networking, se eu tô com uma dificuldade se eu mandar lá no grupo alguém sabe aquilo dali e alguém vai ajudar.

E quem eu acho que são os mais brabos lá? Querendo ou não vou ser um pouco paneleiro porque é o pessoal que eu tenho mais empatia, mais afinidade, que eu mais converso, é o Thacio da hipnose, entende pra caralho de mentalidade, e agora que ele focou 100% – porque ele tava que nem eu, na Maldição das Possibilidades, tentando fazer tudo -, ele focou na hipnose, a gente troca mó ideia na questão da neurociência, vendas, entender de pessoas.

O robô de investimento que eu já conhecia antes…

[Raiam] Assumido, é…

O Luis Machado, pode crer.

[Roskopf] Não tem a ver com meu mercado, mas querendo ou não, pro cara ser bem-sucedido ele tem que ter inteligência emocional, saber vender, e dominar a habilidade de mercado dele, e eu acho que a venda é uma das principais, se você não vende você não tem lucro.

E as estratégias que ele acha, tudo o que ele compartilha lá no grupo é muito foda.

Além dele, o Alberto André, toda vez que ele compartilha é alguma coisa foda.

[Raiam] Gênio, ele é gênio.

[Roskopf] Sempre aprendo algo foda com ele.

O Diamand também, que vai muito com as paradas que eu tô começando a ensinar, instintos humanos, emocionais, todo o processo de venda é baseado nisso.

Deixe eu ver se eu tô esquecendo alguém…acho que esses são os principais que me vêm na cabeça agora, tem mais gente foda…ah! E o Gabriel Oliveira.

[Raiam] Você faltou do sub25…ah, não, o Gabrielzinho, é. Tá aí uma porrada de gente e ninguém do sub25.

[Roskopf] Gabriel pagou minha mentoria. Na verdade ele queria trabalhar pra mim, mas ele não tinha essa questão da inteligência emocional que eu falei, eu falei “você não precisa trabalhar pra mim, porque se você trabalhar pra mim eu vou desenvolver o seu mindset e você vai me largar”, aí desenvolvi o mindset dele.

Ele tinha um computador que a tela era separada do teclado, ele foi lá pra casa com 100 reais no bolso, e é um dos moleques que eu mais gosto porque eu vi ele começando de baixo, esses dias ele tava aqui…

[Raiam] E tava em Israel com a gente, tava em Moscou com a gente, em pouquíssimo tempo.

[Roskopf] Então ele tinha muita habilidade, mas ele não tinha a questão do mindset, o moleque domina o que ele faz, e teve um crescimento muito rápido, um dos mais rápidos que eu já vi ali, e o cara já é top e daqui a pouco já tá no principal, é questão de tempo.

Conselho pra galera jovem

[Raiam] Isso aí, dá um conselho pro pessoal que é obeso mental da tua idade. Um conselho pra quem é jovem.

[Roskopf] Conselho que eu dou pra qualquer pessoa é: não perca a sua loucura, como eu falei lá no início.

Falaram que eu não ia ser oficial do exército, eu fui.

Falaram que eu não ia ser jogador de futebol, eu fui.

Falaram que se eu largasse o exército ia dar merda, e eu certo e eu tenho a vida que eu tenho hoje.

Então, as pessoas sempre vão falar pra você que não é possível, mas se você confia no seu trabalho vai lá e faz.

E caga pro resto, manda geral tomar no cu, foda-se, e faz o que você acredita.

[Raiam] E pra terminar, vende teu peixe aí, rapaz!

[Roskopf] Beleza. Então, galera! Toda empresa tem clientes humanos, você sempre vai vender pra alguma pessoa, se você quer aprender a vender de verdade, de forma científica, aprender o comportamento humano e a máquina biológica, só seguir lá no Instagram (Pedro Roskopf), tem live quase todos os dias, conteúdo gratuito, e uma hora você vai virar cliente.

Se você não quer gastar dinheiro comigo, nem me segue, beleza?

[Raiam] Boa moleque, boa!

Tamo junto, Roskopf.

Bom, esse foi o Pedro Roskopf, vulgo Modo Batom, menino que largou o exército pra empreender com internet e agora já visitou mais de vinte países, saindo pra night, ficando bêbado.

Se você quer entrar pra mesma fraternidade que o Roskopf e toda essa galera do subcast está sub25, sub19, assiste esse vídeo (esse vídeo aqui), responde o formulário que tá na descrição, e vai lá no Instagram (raiam3) trocar uma ideia comigo.

Tamo junto e é só o começo.

Kobe Blog