Ele Ganha Dinheiro no Mercado Financeiro com Robôs – Subcast #9

Ele Ganha Dinheiro no Mercado Financeiro com Robôs – Subcast #9

Fala, rapaziada!

Este post é uma transcrição da conversa que eu tive com o Luiz Machado (vulgo Robô de Investimentos) para o Subcast, o podcast onde eu entrevisto os caras mais brabos das fraternidades Sub 19 e Sub 25.

Você pode encontrar o Luiz Robô no Instagram @robodeinvestimentos .

Tomara que tu consiga vários insights por aqui pra aplicar no teu negócio e na tua vida. Agora, se liga que o conteúdo é só pedrada!

 

 

Quem é o Luis Machado (Robô de Investimentos)?

[Raiam] Coé, rapaziada! Aqui é o Raiam Santos, direto de Moscou, e esse é mais um episódio do Subcast, aquele podcast onde eu entrevisto os novinhos mais brabos da nossa fraternidade.

E hoje a gente tem um cara que é um robô. Ele é robótico, brabo.

Senhor Luís Machado, vulgo Robô de Investimentos, tranquilo irmão?

[Robô] Fala Raiam, beleza irmão? Como é que tu tá, cara?

[Raiam] Tô de boa. Luís, explica pra essa galera quem é você, qual a sua idade, e por que o teu nome é robô?

[Robô] Meu nome é Luís Machado, eu tenho 25 anos, eu sou financial advisor de um banco nos Estados Unidos e o apelido do robô veio porque eu especulo no mercado financeiro usando os robôs de investimento. Aí, acabou calhando de eu ir pro digital e usar esse nome, e pegou. Hoje em dia todo mundo me chama de Robô.

[Raiam] Explica pra galera o que você faz e como você faz a tua grana, que porra é essa de robô de investimento?

O que é Robô de Investimento?

[Robô] Então, como é que surgiu isso tudo, cara?

Vou voltar um pouco atrás. Eu já fui estagiário, fiz estágio em banco aqui no Brasil, Itaú, só que ao longo disso aí eu quis ser trader, né? Quis ser especulador do mercado financeiro, e a gente sabe que não é fácil, eu sei que tu já perdeu dinheiro lá também.

[Raiam] 99,5% dos traders perdem dinheiro, o próprio Tiago Reis levantou essa estatística.

[Robô] Exato! E eu percebi isso no mercado. Depois, eu entendi que o maior problema dos traders é falta de ferramenta, e é exatamente sobre isso que eu falo no meu blog, sobre uma ferramenta – que é o home broker.

No home broker tu consegue gerar matemática pros teus investimentos. Então, mesmo que você não seja trader, que você fundamentalista na tua carteira de ações, imagina só você poder gerar a matemática de risco pra você em tempo real.

Então, eu falo sobre essa ferramenta no meu blog. A algum tempo atrás ela era uma coisa restrita a bancos de investimentos, a grandes gestores, e hoje ela está disponível pro pequeno investidor, só que é um tema muito complexo.

Então o meu blog cresceu muito porque eu conseguia facilitar e democratizar o conhecimento de como é que mexe naquele negócio. Eu mostrava que você não precisa de matemática pra conseguir simular essa estatística, e ajudava os investidores a fazerem isso.

E, no meio do caminho eu acabei encontrando alguns investidores muito grandes?

[Raiam] Como é que você conseguiu chegar a Financial Advisor de um banco americano com essa cara de virgem aí e 24 anos?

Financial Advisor de Banco Americano.

[Robô] Então, eu vou começar bem direto, eu fiz IBMEC (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, pros leigos). Eu fui bolsista no IBMEC como atleta, peguei uma bolsa integral na IBMEC, e nesse caminho, cara…

Imagina um cara como eu fazer uma faculdade, cara. Eu vim de Realengo no Rio de Janeiro, um lugar meio…

[Raiam] Que é o bairro do Roskopf, Gervasio…

[Robô] Eu era vizinho do Roskopf. E o que acontece, nessa de acessar um high level ali no Rio de Janeiro (faculdade da IBMEC, você sabe como é que é), eu ao mesmo tempo já comecei a estudar essa ferramenta.

Era muito fácil para mim estando ali dentro, eu tinha pessoas que queriam saber de mim, como é que funcionava aquilo ali tudo.

Só que ao longo de eu ensinar esse pessoal sobre essa ferramenta, eu fiz muita gente ganhar dinheiro. Não apenas pelo fato de lucrar no mercado financeiro, mas de deixar de perder, porque quando tu tem estatística tu sabe até onde tu tá sendo burro perdendo.

Então esse é o grande trufo do robô, não é te dar dinheiro, é te fazer perder menos. Porque com ele tu tá embasado de forma quantitativa, tem a conta ali, independentemente de ser trader ou não.

E aí vai naquilo que a gente fala, quanto tu gera valor pro topo da cadeia alimentar, parece que a mágica acontece.

[Raiam] Tudo vem, né? A mágica acontece.

Robô, explica pra gente como que tu conheceu o trabalho desse negão que vos fala?

Como você conheceu o Raiam?

[Robô] Então, começou quando lá atrás eu tava trabalhando pra um desenvolvedor, pra um cara que programa essas plataformas, e o cara não sabia vender.

Imagina um programador. Programador geralmente não é bom de vendas. Então, como eu era muito comercial, eu comecei a ajudar ele a vender a ferramenta dele.

No início, eu fui pro digital, fui pro mercado digital pra poder aprender. Eu achava muito cliente ali só que sem saber o que eu tava fazendo.

Nesse meio do caminho, entra uma coisa que eu sempre aprendi desde a escolha da faculdade: “se você quer aprender a fazer uma parada, vai pro melhor que você tiver, consome o melhor conteúdo”.

Eu vi que tu era o cara que falava que era milionário no Instagram, que tinha uma porrada de fonte de renda, eu falei “vou seguir essa cara pra ver qual é”.

E então eu cheguei lá e minha mente explodiu, a gente tá falando de…sei lá quantos…

Tem gente que ganha dinheiro de tudo que é maneira naquele grupo (olha o marketing espontâneo pro negão 😏)

Então assim…eu fui lá pra aprender e conseguir vender aquilo.

Eu tive muito foco, tanto que o pessoal fala isso, que eu não mudei, né? Que eu não mudei de nicho, mas é bizarro como dá pra ganhar dinheiro naquele grupo.

Então, eu acho que isso me chamou muito a atenção de aprender com o pessoal, sabe?

[Raiam] E como é que esse grupo te ajudou? Quem são os mais brabos ali pra você…na tua opinião?

Quem são os mais brabos da Fraternidade?

[Robô] Do Sub, você diz?

[Raiam] Do sub ou do principal ou do Million, a galera que mais te agregou e que você fala “esse cara aqui mudou minha vida, mudou minha visão”.

[Robô] Eu vou falar dois caras que viraram uma chave na minha vida.

Primeiro foi o André Diamand, do Sexy Canvas. Além de ser meu cliente ele é um cara que me mentorou no sentido de trazer um tema que é chato – imagina tu falar de estatística cara! Plataforma de coisa nojenta que ninguém quer ver! – tu transformar aquilo num sexy canvas, numa coisa que chama atenção e que de fato, se tu souber usar, não te consome tempo, não é difícil.

Então…simplificar essa linguagem e ao mesmo tempo mostrar um valor diferente, tornou tudo mais prazeroso e meu crescimento ali foi muito por causa das sacadas que ele me deu.

E outro cara que também é um cara totalmente fora da curva que é da hipnose, é o Thacio, ele me ajudou pra caramba, principalmente naquele evento lá da Lituânia.

[Raiam] Você apanhou pra caralho, você foi o cara que mais apanhou na Lituânia, mas você voltou mais forte, é impressionante.

Na verdade a Julia apanhou também, a Rafa, mas tu foi o que mais apanhou.

[Robô] Foi o evento que as pessoas mais cresceram.

O momento da virada

[Raiam] Com certeza, foi ali que a galera mais cresceu, na Lituânia.

[Robô] E agregou muito valor, tanto que de lá, parece que depois da Lituânia, tudo o que aconteceu pra mim…

Que nem você falou de ganhar grana. Eu já tinha meio que atingido aquele susto inicial, parece que descobri fogo, mas dali o negócio começou a crescer de um jeito exponencial.

E muito dali veio porque o meu poder de fazer as pessoas perderem menos dinheiro por causa da ferramenta, fez com que mais pessoas maiores me notassem. “Quem é esse cara?”, “de onde esse cara surgiu?”

Daí veio muita gente que confia no meu trabalho. Estamos falando de captação de investimento pra corretora XP, enfim…

Comecei a construir um networking muito grande, que possibilitou  muita coisa.

Estive em Miami com um bilionário, um dos 50 caras mais ricos dos Estados Unidos. Ele é dono de um banco grande pra caramba que tem foco em cliente internacional. E eu coloquei uns milhões lá dentro do banco captando uns investidores high level, e isso me deu chancela.

Então, ainda tem esse hate de “você é muito novo” e tudo mais, mas a minha estratégia foi muito isso, eu consegui pegar…

É igual estratégia do jogador de golfe, ele acessou um ponto de interesse de um público e daquele ponto de interesse ele levou pra outra coisa.

As vezes as pessoas olham a tática e não entendem a estratégia.

[Raiam] Boa, boa.

Robô, explica um pouquinho, porque o ano de 2019 foi talvez o mais difícil da sua vida, né?

O ano mais difícil da vida do Robô

[Robô] Foi, velho, foi pra caraca, na verdade.

Eu diria que 2019 pra mim foi uma montanha russa emocional na minha vida, porque a gente tá falando do ano em que ao mesmo tempo eu fiz bastante grana e o ano que eu perdi minha mãe. Tudo no mesmo ano.

Além disso, no final do ano eu descobri que iria ser tio ainda, então tudo na mesma panela. Se não for só por essa questão da minha mãe, quando você entra em aceleração nessa coisa de financeiro, empreendedorismo, tu tem que aguentar a força do atrito, porque ela bate, ela bate.

E eu vim de uma fase que eu tive que…sabe aquela frase “o que te levou até aqui não é o que vai te levar adiante”?, então eu tive que remodelar processo, contratar…

Mas emocionalmente…

[Raiam] Você teve que engolir seco, porque, querendo ou não, a tua estourada aconteceu depois do falecimento da sua mãe. Você teve que engolir seco, botar a cara a tapa e seguir, né?

[Robô] E cara, eu não quero ficar falando tanto da minha biografia, mas é foda você imaginar. Você tem sua vó e tal, acho que todo mundo tem esse ponto em comum no empreendedorismo. Mas no momento em que eu poderia realizar o sonho da minha mãe de ir pra Itália, bem nessa semana ela foi pro hospital.

É um mistério da vida que tu desiste de entender, mas é bizarro.

Porém, ao mesmo tempo é bom saber que pelo menos ali dentro eu pude fazer tudo…tive mais condição, pude quitar o INSS dela. Ela acabou nem usando, ficou pro governo aquilo, mas saber que eu pude fazer aquilo é bom demais.

Robô antifrágil

Sem contar a gratidão que eu tenho pelo grupo, pelas pessoas que me cercaram ali, e não me deixaram imbicar pra baixo.

Tu tá ligado como é isso, que família, a parte pessoal quando pega te imbica pra baixo.

Se você não se cercar de pessoas boas, você afunda.

[Raiam] Cara, você é um dos maiores networkers que eu conheço, apesar da sua pouca idade. E você é resiliente pra caralho e eu gosto muito disso em você.

Na verdade não é nem resiliente a palavra…você apanha e você sai mais forte depois que você apanha.

Você apanhou da vida, você apanhou de pessoas, você apanhou do teu mercado. E eu queria saber de você, do topo da tua experiência toda e da tua antifragilidade, que conselho você daria pro pessoal novinho, de vinte e poucos anos, que tá começando?

Conselho do Robô pra quem tá começando

[Robô] É o seguinte, cara…é muito clichê falar foco, “tenha foco”, todo mundo sabe lá no grupo que uma das coisas que o pessoal sempre reconheceu em mim foi do foco. Eu não entrei no mercado e fiquei migrando, desde que eu entrei ali eu fiz a mesma coisa.

E só tem uma coisa que sustenta o foco, que é o propósito.

Tem uma fórmula pra tu encontrar um propósito do que tu quer fazer, que é assim: encontra tuas paixões.

Tu tá em casa, de quarentena, sem colégio, sem nada, percebe tuas curiosidades, o que tu gosta de fazer, o que tu quer ter como rotina na vida.

No meu caso foi tecnologia, investimento, viajar – porque eu olhava o Instagram do Raiam e queria viajar também.

Então tu pega as tuas paixões, aquilo que tiver no teu entorno, aquilo é a tua paixão, essas curiosidades. O que tu tem que fazer agora?

Tu tem que pegar esse conjunto e tenta encontrar alguma dor no mundo que essas paixões conseguem resolver.

Se tu conseguir fazer esse link tu vai ser antifrágil, tu vai aguentar qualquer pancada e tu não vai desistir do teu objetivo, tu não deixa de ganhar se tu não desistir.

[Raiam] Então é o que você gosta e o que o mundo precisa, se você fizer os dois juntos alguma coisa vai acontecer, vai sair pólvora!

Tá na Bíblia

[Robô] Alguma coisa vai acontecer, mas aí tem uma coisa, cara…tu gosta da Bíblia, tu já leu a Bíblia pra caramba, né?

E tem uma coisa que é um padrão que aconteceu comigo na tua vida, aconteceu contigo, aconteceu com todo mundo no grupo, e sabe com que mais aconteceu? Aconteceu com José na Bíblia, cara.

Tu conhece a história de José?

[Raiam] José do Egito…

[Robô] Exato, é tudo sobre…

[Raiam] Ou José pai de Jesus?

[Robô] É tudo sobre ascensão na cadeia alimentar. Como é que tu justifica um escravo, sair de uma posição de escravo e virar um governador do Egito? Como é que tu justifica isso?

É o mesmo padrão. Com o teu conhecimento específico, você tem que gerar valor pra quem está acima de você com dinheiro e poder na cadeia alimentar e você tem que se fazer conhecer por essa habilidade.

[Raiam] Total! Resumiu bem!

[Robô] Quando tu faz isso tu sobe. E como é que foi com José? Tu deve lembrar.

Na Bíblia, José tinha o dom divino de interpretar sonhos (se tu é cético e não acredita na Bíblia, acredite que ele era super persuasivo e conseguiu chegar na prisão e fez os prisioneiros mais fortes que ele o protegerem porque ele interpretava sonhos).

A fama subiu pro copeiro, que servia mais comida porque ele interpretou o sonho do copeiro, dali pro guarda, depois pro general, do general pro faraó, o faraó…

Gerou valor pro faraó, o faraó foi lá e nomeou ele o governador do Egito, então assim

É esse o padrão.

Não aconteceu só comigo!

E uma vez eu fiz a sinapse, falei “caraca! é verdade!”, aconteceu contigo, aconteceu com aquele cara lá do golf que também fez um blog pra falar de golf, o cara era divulgado numa esquina sem networking e sem porra nenhuma, o que o cara fez?

O cara teve uma ideia, “eu tenho que pescar onde tá o meu peixe”, onde tá o peixe? E daí ele criou um blog pra falar de golf.

E outra, ele falava numa linguagem voltada para quem era o novo milionário que queria impressionar o bilionário no golf club. Pra não passar vergonha o cara tem que ter alguém didático pra ensinar, e aí ele gerou valor pra essa galera.

Assim como blogueirinha de comida é chamada pra tirar foto em restaurante, ele foi chamado pra chegar com os golf clubs.

Efeito primeira classe

[Raiam] Falando em peixe, ô Luis Machado Robô de Investimento, pra terminar, vende teu peixe aí.

[Robô] Segue lá @robodeinvestimentos . No meu Instagram você vai achar basicamente o meu dia a dia, trabalhando como advisor de um banco remoto.

O Diamand me ajudou a encontrar esse conceito que é o Financial Nômade, é o cara que trabalha ajudando pessoas a investir nos Estados Unidos e além disso faz especulação do mercado com robôs, então…

A gente sabe que 2020 agora tá cheio de robô de binários de não sei o que, é aposta misturado com investimento de especulação, esses três conceitos. Eu tô ali pra ajudar as pessoas a entenderem o que é investir, o que é especular, e o que é apostar.

E hoje em dia tem robô pra tudo do mercado, o pessoal tá perdido e a ideia é ajudar a galera, então tem uma comunidade só sobre isso pra você poder aprender, e vai lá!

E outra: quanto custa pra você nunca quebrar? Pra você nunca perder dinheiro?

[Raiam] Beleza então, Luizão. Grande abraço pra ti!

Esse foi o Luis Machado, vulgo Robô de Investimento. O cara tem uma história de vida sensacional! Se você está interessado em entrar pra nossa fraternidade, sub25, sub19, assiste esse vídeo aqui e preenche o formulário que tá na descrição, e aí é onde tudo acontece. Tamo junto e é só o começo!

 

Kobe Blog