Browse By

Como Fazer 1 Milhão Antes dos 30 Anos? Subcast #4

[Raiam] Fala rapaziada, aqui é o Raiam Santos direto de Moscou e seja muito bem-vindo a mais um episódio do subcast!

Subcast é onde eu entrevisto, eu chamo os nossos sub25 e sub19 mais brabos lá da fraternidade e hoje eu chamei um cara lá do interiorzão de Minas Gerais que ganhou o MVP do grupo, MVP é o membro mais votado, o membro mais querido, membro mais agregador do grupo algumas vezes.

Senhor Lucas Rufino, 1 milhão com 30.

E aí, irmão? Tranquilo, cara?

[Lucas] É isso aí, tamo junto.

[Raiam] Beleza, camarada.

Primeiro de tudo, conta pra gente quem é você, tua idade e de onde de Minas Gerais você é?

Quem é o Rufino?

[Lucas] Eu sou o Lucas Rufino, sou de uma cidade de 100 mil habitantes, Ubá em Minas Gerais, hoje eu moro em Juiz de Fora – desde 2014, mas eu sou de Ubá -.

Tenho 24 anos e sou o fundador do canal “1 milhão com 30” que é de onde a galera mais me conhece, mas eu tenho negócio físico também.

[Raiam] Com essa voz de radialista aí, hein.

[Lucas] Hahaha, que isso.

[Raiam] Pô, pra 24 anos você tá meio acabado, né cara?

[Lucas] Tô, cara. E ainda fiz a barba pra parecer mais novo aqui.

[Raiam] Conta pra gente, Rufino. O que você faz e como você fez tua grana? O que você faz da vida?

O que o Rufino faz da vida?

[Lucas] Show de bola, então…como eu falei, a galera me conhece mais pelo canal “1 milhão com 30”, mas basicamente, ao contrário da maioria da galera lá do sub25 eu não comecei a ganhar dinheiro jovem porque eu queria, ou porque eu era muito ambicioso, e tudo mais.

Nada disso, na verdade foi por necessidade.

Porque com 20 anos de idade já precisei me tornar o homem da casa, seguir primeiro aquele caminho de faculdade, sai de casa com 17 anos, mas só queria saber de farra.

E aí com 20 anos, meu pai faleceu e eu precisei me tornar o chefe da casa – digamos assim -, e a gente não tinha grana naquela época, então eu comecei a trabalhar com uber e tudo mais…

[Raiam] Ah, você dirigia uber naquela época?

[Lucas] Dirigia. Dirigi por um tempo. Porque naquela época a renda da minha família tinha caído pra basicamente um salário mínimo que era o que minha mãe ganhava.

Então com 20 anos eu virei uber, fiquei trabalhando disso, cheguei a ser promoter de festa, fazia excursão pra festa, um monte de bico assim que na verdade não dava dinheiro nenhum.

Aí depois de um ano, em 2017, eu resolvi pegar todo o restinho de grana que eu tinha e investir num negócio próprio. Não conhecia a internet e nem nada disso direito, então comecei a investir no negócio próprio.

É uma loja de milkshake, na cidade de Ubá…

[Raiam] Caramba. Em Ubá, você mora em Juiz de Fora, mas você tem o teu negócio em Ubá.

[Lucas] Sim, sim. Na época eu voltei pra Ubá durante um tempo pra trabalhar realmente com isso, me dediquei 100% a isso, então meio que deixei de lado a faculdade.

Fiz faculdade de engenharia civil, na federal de Juiz de Fora…

[Raiam] Terminou?

[Lucas] Ainda não, cara. Tá faltando o TCC e mais uma matéria…

[Raiam] Tem pouca gente no sub25 que tem faculdade.

[Lucas] Eu tinha 17 anos quando entrei na faculdade, agora já tenho 24 e até hoje não entreguei um negócio lá.

[Raiam] Mas é normal, é normal.

[Lucas] E aí o negócio começou a dar certo, aumentou muito mais a renda da minha família e eu consegui deixar a minha mãe por conta disso.

Por que – como eu falei – ela ganhava um salário mínimo, e ela nunca teve um negócio próprio. Então eu montei um negócio e depois que ele começou a dar certo, quando começou a rodar mais tranquilo, eu deixei ela lá…

[Raiam] Você gerou um emprego pra sua mãe.

[Lucas] Basicamente isso.

E até hoje ela tá com esse negócio, e é o que gera a renda principal da minha família, o negócio não para de crescer até hoje.

Só que minha grande paixão realmente era o mercado financeiro, então eu comecei a estudar sobre isso com 18 anos, comecei a fazer meus investimentos de 100, 200 reais por mês.

E depois que eu comecei a ganhar dinheiro…

[Raiam] Tu pegou o mercado assim, né? (subindo).

Você começou com 18 anos e pegou o mercado só assim. (subindo).

[Lucas] Exato. Quando eu comecei a investir era 2015, então era a última crise antes dessa que a gente tá vivendo agora, então serviu pra pegar muita experiência.

Fui aumentando, fui crescendo e crescendo, e aí em 2018 eu resolvi falar sobre isso na internet, então eu aproveitava o que eu sabia porque a galera viu isso que aconteceu, e a galera da época achou que eu ia quebrar com a minha família, como é que um moleque de 20 anos vai conseguir dar conta?

E é porque tem um monte de moleque de 20 anos brabo pra caramba, mas eu não era não, eu era da farra, não queria saber de nada.

[Raiam] Mas assim, você virou homem de família duas vezes, porque você virou o pai da sua família e depois você teve uma filha.

[Lucas] Exato, exato. Tem essas história ai também, quando eu tive 22 anos eu tive um filho e tá lindona aqui em casa. Tá quase batendo 2 anos já, tá velha, hahaha.

[Raiam] Tá velha, hahaha. Isso aí é a parada que eu mais respeito, cara. Você é pai de família, além de entregar uma condição melhor para a sua mãe, e deve ter sido inesperado, né? Porque com 22 anos ninguém quer ter filho. E você se virou nos 30 e criou.

Conta pra gente um pouco mais sobre o que é o 1 milhão com 30 que é a tua marca aí.

[Lucas] Boa, então, como eu falei, eu comecei a produzir conteúdo sobre isso porque a galera ficava tipo…”Rufino, como que você fez isso? Como é que você conseguiu transformar completamente a sua família?”

E eu falava muito sobre essa questão dos investimentos do mercado financeiro, porque…apesar que eu sei que você dá uma zoada aí, fala pra investir só a galera que tem mais de 5 milhões…

[Raiam] Cada um com seu perfil, eu amo Tio Huli e Tiago Reis, cara.

[Lucas] E eu acredito que na verdade você precisa ter essa noção desde o início, pode ser o cara mais fudido de todos, pelo menos essa noção de educação financeira, de economizar parte do que ganha pra investir pro futuro…coisas que você sempre fez, por exemplo.

E realmente, o mercado financeiro não é pra ganhar dinheiro como a galera pensa, e eu quando comecei a estudar com 18 anos também pensei que eu ia ganhar dinheiro com mercado financeiro, fazendo trade e tudo mais.

Mas hoje não, desde que eu percebi que a gente não ganha dinheiro com mercado financeiro, que a gente ganha dinheiro com o nosso trabalho…

[Raiam] Trabalho e aporte, trabalho e aporte.

[Lucas] Mas eu gasto 1 hora por mês pra cuidar dos meus investimentos, então isso não me toma tempo nenhum e é muito mais uma parada de longo prazo, mas é certa.

Então é muito mais conservador, realmente, a questão dos investimentos, mas o foco é 100% onde a gente ganha dinheiro no nosso trabalho.

E aí eu comecei a produzir conteúdo lá, o negócio não para de crescer, e hoje acabou se tornando uma nova fonte de renda pra minha família.

[Raiam] Com certeza.

[Lucas] No último ano praticamente dobrou o meu faturamento com a 1 milhão com 30 que era focada exclusivamente no Instagram, hoje que tá todos os outros canais.

Como você conheceu o Raiam?

[Raiam] Como você conheceu o trabalho desse negão marrento que vos fala?

[Lucas] Cara…eu sou um pouco de exceção, eu te conheci lá do blog.

[Raiam] Das antigas.

[Lucas] Das antigas, via aqueles textos loucos que você escrevia lá no blog e eu adorava mandar pra galera, pros meus amigos e tudo mais, um monte de gente não gostava da linguagem, mas eu gostava pra caraca.

[Raiam] Pô, tu era novinho então, tu tinha 18/19 anos.

[Lucas] Exato, é…19 anos.

Acabou que na época pré-copa, você tava fazendo uma turnê lá pela Europa, você tinha só uns 20 mil seguidores, e aí um amigo meu falou “você lembra daquele negão que você mandou uma vez pra mim, daquele texto e tal? Olha só o que ele tá fazendo agora”.

Aí eu vi, comecei a seguir ali, aí eu vi desde o início da fraternidade, quando tava 300 contos eu cheguei a te perguntar…

[Raiam] “Tá muito caro”.

Mas você foi uma das primeiras turmas do sub25, e como é que o grupo te ajudou e quais são os mais brabos ali da nossa fraternidade?

[Lucas] Hoje em dia, com a 1 milhão com 30, que aí vai mais pro meu negócio digital, mas eu sou reconhecido em qualquer evento do meu nicho, eu tô com alguns grandes ali.

E eu acredito que muito disso foi por conta do grupo, por conta dos contatos, o mais forte do grupo é esse networking, existe uma palavrinha…uma frase mágica – melhor dizendo -, quando você chega pra um cara e fala “eu também sou do grupo”, ele abre as portas, e um dos primeiros caras…

[Raiam] Tio Huli te trata de igual pra igual…

[Lucas] Foi o Tio Huli, exatamente.

Lá no início eu tinha 3 mil seguidores, mal e mal tinha feito dinheiro na internet ainda, o Tio Huli já abriu as portas pra mim, fui gravar na casa dele, tô sempre fazendo live com ele e depois disso a parada foi só aumentando, só essa semana…não sei se eu deveria falar o nome, mas tenho live com Fábio Holder, com Lucas Pit…

[Raiam] Uns caras grandes do teu nicho, cara. Que top.

[Lucas] Exatamente, então eu já tô ali com uns caras grandes do nicho, e eu acredito que foi muito por conta do grupo e também por questão de que como lá tem gente de todos os nichos, acaba que qualquer dúvida que a gente tem…

[Raiam] Tu joga lá e alguém vem.

[Lucas] Qualquer dúvida tem alguém lá pra te ajudar, pra te falar, então por exemplo, tem o grupo dos lançamentos – que é a área que mais me interessa -, pô…é cada cara ali que já fez múltiplos 7 dígitos, até 8 dígitos dando dicas quando eu falo dos meus lançamentos de 6 dígitos.

Quem é o mais brabo da fraternidade?

[Raiam] E lá no sub25 quem é o mais brabo?

[Lucas] Acontece que…que nem você falou, eu já ganhei MVP um monte de vezes, a galera toda já me conhece lá, então fica difícil de eu focar só em um, se tiver que falar de qualquer um do grupo eu falaria o Tio Huli.

[Raiam] Não, eu tô falando de sub25.

Deixa de ser político, escolhe um.

[Lucas] Hahaha, então eu vou falar o Sérgio, Mago do Marketing, que já me ajudou pra caramba aí.

[Raiam] Brabo! Brabo!

Esse moleque é brabo, todo mundo fala bem do trabalho dele, das estratégias, contingência, tráfego, o moleque é completo!

Abraço aí pro Mago do Marketing.

[Lucas] E a galera dos lançamentos lá, todo mundo. O Samuel que entrou agora há pouco, o Arlindo, o Will The Traveler também – já me ajudou pra caramba -.

É gente pra caramba, não sei falar quais são os mais brabos, não.

[Raiam] Tamo junto.

Conselho pra um moleque perdido na vida.

Dá um conselho aí pra um moleque jovem que não sabe o que fazer, 20 e poucos anos e meio perdido na vida, e você que já passou por muito, já é pai de família duas vezes, então tu tem uma bagagem pra compartilhar com a galera.

[Lucas] Eu acho que o principal que mudou meu jogo foi o foco. Porque há alguns anos atrás, como eu falei, eu tava com um monte de bico, um monte de coisas, e nenhuma delas me dava dinheiro nenhum, e ainda tava na faculdade de engenharia, queria montar uma construtora, depois eu comecei com o meu negócio próprio, e gostava de mercado financeiro.

Então não tinha foco nenhum, quando eu direcionei as minhas energias pra uma coisa só que a coisa começou a dar certo.

Apesar de eu ter dois negócios principais, que é o negócio físico e o negócio digital (1 milhão com 30), mas na verdade hoje eu fico 90% do meu tempo me dedicando a 1 milhão com 30 por isso que tá crescendo tanto.

[Raiam] Margem alta.

[Lucas] Claro, muito mais alto que negócio físico.

Então, eu diria basicamente isso, a questão do foco, porque normalmente quando o pessoal tá perdido começa a atirar pra todo lado.

Vê falar de dropshipping, vai pra dropshipping. Vê falar de afiliados, vai pra afiliados. Daí tem a faculdade. Daí tem o outro negócio que quer montar.

E aí acaba que nenhum da certo, então o foco é o principal.

E outra dica que que eu posso dar é a questão de não desanimar quando tudo estiver dando errado.

Sem querer ser vitimista, porque é chato pra caralho, mas em vários momentos em que a minha vida deu errado, que deu algum grande salto pra baixo, eu só consegui dar a volta por cima porque eu fiquei tranquilo e falei “cara, não tem nada disso, eu tenho que chamar a responsa pra mim e trabalhar”.

Poderia ter ficado chorando lá e tal, “ah, meu pai faleceu e tal, agora minha mãe se vira”, mas não, eu fui lá e chamei a responsa, comecei a trabalhar, e mesmo quando eu tava trabalhando de uber eu acho que foi essa determinação e essa questão de chamar a responsa que fez eu chegar até aqui.

Então eu acho que essa também é uma das dicas que eu dou pro pessoal que tá perdido.

[Raiam] Brabo.

Agora vende teu peixe, fala pra galera aí, aproveita a plataforma, vende teu peixe.

[Lucas] É isso aí.

1 milhão com 30, segue lá no Instagram (1 milhão com 30), no Youtube (1 milhão com 30), Telegram, tem todas as redes sociais com muito conteúdo pra ensinar você a investir e pra mostrar que investimento não é nada disso que a maior parte das pessoas pensa.

Primeiro, que não é complicado. Segundo, que não é trade de você ficar o dia inteiro no computador – eu não faço nada disso, eu fico uma hora por mês só pra fazer os meus aportes ali e esquece -, então qualquer dúvida que você tiver, pode me mandar mensagem lá.

Eu que respondo todo mundo no direct, aprendi com esse negão ai.

Respondo todo mundo sem falta, fico o dia inteiro praticamente no Instagram respondendo o pessoal, e qualquer coisa que vocês precisarem é só dar ideia, só chamar lá que eu estou aqui pra ajudar.

[Raiam] Tamo junto Rufinete, grande abraço pra você.

Direto de Juiz de Fora, Ubá, Minas Gerais pra Moscou.

Tamo junto e é só o começo rapaziada.

Bom rapaziada, se você gostou do que o Rufino falou, se você quer entrar na nossa fraternidade, me chama lá no Instagram (@raiam3), a gente troca ideia.

Lembrando que: sub19 – 3 mil reais, sub 25 – 12 mil reais.